Saiba identificar um mentiroso!

Os mentirosos têm características comuns, perceba

Não é preciso ser um Sherlock Holmes ou ter um detector de mentiras para perceber quando temos um mentiroso a nossa volta. E não estamos falando das mentirinhas do dia a dia, como quando alguém pergunta se algo está bonito e você mesmo sabendo que não está, mente para não magoar. Estamos falando de pessoas que têm esse hábito e praticam sem necessidade.

Este hábito pode evoluir tanto ao ponto de chegar em um estágio de doença, a mitomania, que é a mentira compulsiva, a pessoa que vive em função de contar histórias inventadas. Vamos conferir a seguir alguns sinais que essas pessoas emitem ao mentir:

  • Pausas durante a fala: a fim de ganhar tempo para criar as histórias, o mentiroso faz pausas de tempo enquanto conversa com você.
  • Poucos detalhes: o mentiroso tende a contar a história sem citar datas, lugares e principalmente pessoas envolvidas quando ele tem pouco tempo, por isso, quando estiver em dúvida se ele está mentindo, questione estes detalhes.
  • Contar a mentira novamente: ainda neste quesito de questionar, peça para ele contar a história novamente, eles têm dificuldade em repetir e podem entrar em contradição.
  • Contato visual: muitas pessoas tendem a não olhar dentro do seu olho quando contam uma mentira. É claro que alguém que já é acostumado com isso, também é treinado para olhar dentro do olho. Contudo, vale prestar atenção nesta característica.
  • Mudar de assunto: é comum que ao ser questionado, o mentiroso mude de assunto e diga para deixar essa história pra lá. Insistir faz com que eles entrem em contradição ou contem a verdade.
  • Contam vantagem: nas histórias eles geralmente vão se sair de forma positiva, ou ganhando vantagens, ou sendo corajoso, bem-sucedido e esperto.
  • Baixa autoestima: complementando o ponto anterior, a baixa autoestima pode criar essa realidade paralela em que a pessoa se sobressai em tudo que faz, isso faz com que ela se sinta, momentaneamente bem. 

São inúmeras as causas deste tipo de comportamento, pode ser por questões familiares, genéticas, de relacionamento ou a soma de tudo isso. Alguns cientistas acreditam até em manifestação biológica, já foi identificado que pessoas que têm mais massa branca no cérebro têm tendência a mentirem mais. A massa branca é a responsável pela agilidade do raciocínio, imaginação e criatividade, se levada para este lado, desenvolve cada vez mais a mentira. Em geral, a teoria melhor aceita é que as causas são junção de vários fatores. 

Tratamento

Existem psicólogos e psiquiatras especializados em mitomania, contudo, o maior desafio ainda é fazer com que essas pessoas aceitem que estão nesta condição e por fim, incentiva-las a buscar tratamento. Os especialistas recomendam primeiro a terapia comportamental, assim, o psicólogo conseguirá aprofundar no passado e nas situações presentes do paciente a fim de reverter esse quadro. Em um segundo momento, o trabalho com o psiquiatra e a medicação em sintonia com as sessões de terapia podem ser aliados para resolver este quadro. 

A mitomania tem solução e o tratamento pode melhorar a qualidade de vida de quem tem, procurar um profissional é o passo principal para se livrar disso e ter a verdade como peça principal no cotidiano.

Tags: mentir saúde

Veja mais