Use o Dia dos Namorados para começar a economizar a dois

O Dia dos Namorados está chegando e os casais devem estar a mil pensando em um presente que impressione a pessoa amada. Nessa hora, o apelo emocional de dar um presente de impacto para quem se ama pode ser tão forte que a decisão acaba sendo feita sem medir exatamente a capacidade do orçamento. Em momentos como esse, o comprometimento com dívidas aumenta e, o que era para ser um momento especial a dois, pod virando uma dor de cabeça nos meses seguintes, à medida que vão chegando as faturas do cartão de crédito. 
 
Seguindo essa lógica, a maioria das pessoas deixa de lado um ponto forte dos casais: a dois, fica muito mais fácil juntar dinheiro de forma significativa. Em psicologia econômica, sabe-se que nossos esforços de poupança se tornam mais efetivos quando temos um objetivo claro em mente. Isso se reforça ainda mais em nossa mente quando assumimos um compromisso público de alcançar determinada meta. Por exemplo, se você se compromete com sua parceira ou parceiro a fazer uma viagem para o exterior em um ano, o afinco para atingir essa meta fica ainda mais forte quando isso é dito um para o outro. 
 
O casal funciona como um sistema de freios no alcance dos sonhos que os dois têm em comum. Se o objetivo for o casamento, ambos desenham juntos quais serão os esforços de economia, o quanto cada um pode economizar e o que podem fazer juntos para aumentar a renda. O mesmo vale para a compra de um carro, para mobiliar o apartamento, entre outros exemplos. Quando um extrapola os gastos, o outro pode ajudá-lo a poupar e voltar a colocar os pés na realidade. 
 
Para que isso funcione bem, no entanto, é preciso que haja transparência e diálogo entre os dois quando o assunto é dinheiro. Muitos casais enfrentam crises conjugais sérias por falta de transparência para falar sobre dinheiro. É paradoxo pensar nisso: se o dinheiro é tão importante e participa de praticamente tudo em nossa rotina, por que é tratado como tabu entre casais? 
 
Outro contraponto importante que deve ser feito aqui é a importância de manter um espaço para o que vou chamar de individualidade financeira. Isso significa que, por mais que os dois saibam o quanto é importante poupar e que mantenham o foco nos planos do casal, é preciso que haja espaço para que cada um tenha o seu dinheiro, para gastar individualmente sem a interferência do outro. Esse respeito ao espaço individual de cada um é produtivo para a relação e pode, inclusive, ajudar na manutenção das metas a dois. 
 
Pense bem em toda essa dinâmica: o que te parece mais saudável para uma vida em casal? Fazer uma dívida alta para comprar um presente de Dia dos Namorados que impressione ou construir, juntos, um objetivo que será importante para os dois? A longo prazo, poupar dinheiro em conjunto tem mais potencial de proporcionar felicidade ao casal. Aproveite o Dia dos Namorados para traçar suas metas com a pessoa que você ama.

Fonte: G1 

Tags: casais Dia dos Namorados orçamento planejamento financeiro

Veja mais