Como lidar com a ausência da convivência profissional

Isso não significa que será excluído(a) das redes sociais ou de grupos de mensagens

Comecemos gerando um questionamento: o que o trabalho significa para você?

Entende-se por trabalho uma atividade que favorece o desenvolvimento de autonomia, autoconceito, autoestima, vínculos sociais e possibilita a expressão da criatividade e seu sustento financeiro.

Essa atividade laboral constitui-se como um fator preponderante para a inserção social, interação humana e a constituição da própria identidade. Por essa razão, o lugar do trabalho é tido como uma referência para o indivíduo, tornando-o reconhecido pelo o que ele exerce na profissão.

Este ambiente permite participação em grupos sociais, ressignificando relacionamentos afetivos e vivências compartilhadas entre os trabalhadores. São os colegas de trabalho que superam dimensões cognitivas, políticas e afetivas.

Quando a ruptura no trabalho acontecer, é preciso que você se perceba como um “sujeito de si próprio”, ou seja, definir claramente os atributos de um “eu”, criando a sua própria identidade. Deve-se compreender que se tratam de mudanças que vão além da rotina profissional. A partir de agora é preciso reestabelecer conexões fora deste ambiente.

Almoços, cafezinhos, participação dentro do trabalho, serão cada vez menos frequentes. No entanto, isso não significa que será excluído(a) das redes sociais ou de grupos de mensagens, pelo contrário. É hora de avaliar como você incluirá as amizades feitas no ambiente de trabalho em sua vida, que passará por transformações.

Como estão os amigos de infância? Você tem outras conexões? Participa de algum grupo? E agora o mais importante: como andam as relações familiares? Tem visitado parentes distantes?

Percebe que criar espaços para todos os tipos de relacionamentos é primordial? Entendemos que a convivência profissional tem (tinha) uma ocupação significativa em sua vida, mas a partir da transição que se vive, tem-se que priorizar outros tipos de relações. Há lugar para todas! Conhecer pessoas transmite sensações que vão além da amizade – elas fazem bem à saúde.

Procure estar cercado(a) de pessoas que gosta. Estudos comprovam que laços afetivos evitam doenças cardiovasculares e afastam a depressão (e são apenas duas coisas que citamos).

Há uma imensidão cultural aguardando por você. São inúmeras possibilidades de interação: academia, aulas de idiomas, aulas de gastronomia, viagens, grupos de estudo, voluntariado... Você vai ter mais amigos do que se imagina – serão os novos amigos da vida de aposentado e os velhos colegas de trabalho.

Não se esqueça de sua família! Programe-se para ir a eventos que antes não tinha tempo de ir, vá a lugares que ainda não foi, viaje mais. Tenha mais tempo para fazer o que você quer fazer. Tudo isso minimizará a ausência dos colegas e a rotina do trabalho.