7 Passos para atravessar o mês no azul

Com planejamento de gastos e um pouco de disciplina fica fácil poupar

Você sabia que é possível viver bem com o seu salário mensal e ainda fazer sobrar dinheiro para poupar? A palavra-chave para o que parece impossível é disciplina. Falta de planejamento e descontrole nos gastos são os principais gargalos por onde escoa o seu salário.

Para começo de conversa, é preciso saber o quanto você ganha de verdade e o quanto gasta por mês. Sem ter os números reais, a conta não vai fechar.

Veja, passo a passo, como fazer o salário chegar até o final do mês com dinheiro no caixa:

Primeiro passo

Descubra com quanto você e sua família podem contar para viver. Para saber qual é o salário real de cada um, a conta é simples: diminua do salário bruto todos os descontos, como imposto de renda, contribuição para o INSS, empréstimo compulsório e pensão alimentícia. O que sobrar é o que vocês têm, de fato, para passar o mês.

Segundo passo

Elabore um orçamento. Depois de listar os ganhos, faça o mesmo com as despesas.  Para aqueles que já costumam fazer o orçamento do mês, a sugestão é aumentar o prazo de análise e fazer seu orçamento para os próximos seis meses, calculando a previsão dos ganhos e gastos futuros. Não deixe nada fora da lista: a festinha de aniversário do filho mais novo daqui a dois meses, a viagem para o interior no Dia das Mães, presentes de casamento, aniversário, gastos com revisão do carro, e por aí vai. Também é importante acompanhar se as previsões foram concretizadas.

Terceiro passo

Analise seus gastos. Faça uma lista com o indispensável e avalie quais supérfluos pode cortar.  “Quando prestar mais atenção ao seu dinheiro, você fará escolhas diferentes, mais eficazes. Passará a pensar mais antes de sair gastando o seu salário. A partir daí há grandes chances dele começar a sobrar”, diz Evanilda Rocha, da consultoria Dinheiro Inteligente, de São Paulo. E mantenha-se firme no propósito de sustentar seu equilíbrio orçamentário, cumprindo rigorosamente a lei mais importante da economia: não gastar mais do que ganha.

Quarto passo

Evite desperdícios, não gastando no que não traz nenhum benefício. Televisão ligada e ninguém assistindo é um exemplo. Alguns hábitos simples, como fazer uma lista antes de ir às compras, podem ajudar. E procure não cair nas tentações. Comprar um produto de limpeza sofisticado (e desnecessário) só porque acreditou na propaganda de televisão é um desperdício. Consuma apenas o que é importante para você e sua família.

Quinto passo

Reflita sempre. Quando for comprar algo que não esteja na lista dos indispensáveis, como alimentação ou gasolina, por exemplo, faça a si mesmo três perguntas básicas: Preciso? Tenho dinheiro para a compra? É necessário adquirir o produto nesse momento?  Em 99% das vezes você vai descobrir que pode viver sem seu objeto de desejo por mais um tempo.

Sexto passo

Enfrente suas dívidas. Depois de descobrir o que o está levando ao endividamento (releia o terceiro passo), faça um levantamento de tudo o que deve, qual é o credor e, principalmente, qual a taxa de juros paga. Uma alternativa pode ser buscar uma linha de crédito que apresente taxas mais baixas para saldar as dívidas mais altas.

Sétimo passo

Mesmo que tenha de apertar o cinto, desenvolva o hábito da poupança. Por menor que seja a quantia, você estará contribuindo não apenas para ter um dinheiro de reserva, mas, principalmente, para sair da condição de gastador e tornar-se um poupador: “Se as contas do vermelho passaram para o azul sem sobras, empenhe-se em começar uma poupança. E se estiver no azul com poupança, parabéns. Amplie sua capacidade de poupar com foco nos seus objetivos a atingir”, conclui Evanilda Rocha.

Tags: economia na prática Evanilda Rocha orçamento organização financeira planejamento financeiro

Veja mais