Abrir o próprio negócio na aposentadoria: avalie antes de decidir

Mais do que o dinheiro, empreender requer vocação e disposição

Será que vale mesmo a pena abrir um negócio ao se aposentar? Isso tem muito mais a ver com você mesmo – seu talento para empreender e suas expectativas em relação aos resultados – do que com o dinheiro que você tem no bolso. Avalie, a seguir, se esse caminho é o mais adequado para você:

Você quer ter um negócio na aposentadoria apenas para ter uma renda complementar?
Se a resposta for  sim, melhor ficar onde está. Empreender implica assumir riscos e, portanto, não deve ser encarada como forma de renda complementar. Nesse caso, prefira aplicar seus recursos em ativos financeiros que lhe tragam rendimentos futuros.

Você quer ter um negócio na aposentadoria por que identificou uma necessidade do mercado?
Ótimo, pode avançar! Bons negócios são aqueles que atendem a alguma carência do mercado. Para ter essa certeza, vale buscar ajuda de consultores e até de outros empreendedores que já atuam no ramo almejado. Uma vez identificado o empreendimento adequado, faça um planejamento financeiro e elabore um plano de negócio que identifique as possibilidades de sucesso e os fatores de risco.

Você sabe de que documentos precisa para formalizar uma empresa?
Se você sabe, pode ir em frente. Caso contrário, busque informação. É essencial manter sua atividade regularizada. Embora os aspectos legais e tributários no Brasil sejam complexos, o governo oferece alternativas para facilitar a vida do pequeno empreendedor. Procure informações no Portal do Empreendedor Individual

Você tem algum conhecimento ou experiência na área em que pretende atuar?
Se tem, avance com seus planos. Se não, procure universidades, incubadoras e o Sebrae, instituições que têm se empenhado em produzir conhecimento e orientar micros e pequenas empresas. É muito importante que o empreendedor tenha informações acerca da área em que deseja atuar. Aprender sobre uma atividade inteiramente nova pode exigir muitos esforços, nem sempre com bons resultados. Em contrapartida, a experiência acumulada ao longo de anos, além da busca constante de informação e capacitação, torna-se uma grande vantagem.

Você pretende comprometer os recursos guardados para a aposentadoria?
Se a resposta é sim, volte ao princípio e repense toda a sua trajetória! É essencial que os recursos destinados a um novo empreendimento não comprometam o planejamento da aposentadoria. Qualquer empreendedor deve estar disposto a assumir riscos, mas esses devem ser muito bem calculados e não podem atingir as reservas que garantirão segurança ao aposentado.
 

Consultoria: José Carlos Polidoro, professor de Administração da Universidade Anhembi Morumbi, de São Paulo, e Leila Pellegrino, professora de economia da Universidade Mackenzie, de Campinas.

Tags: aposentadoria economia na prática futuro investimentos José Carlos Polidoro Leila Pellegrino

Veja mais