Comprar parcelado ou à vista?

Saiba quando escolher cada uma das opções

Quem nunca se rendeu ao famoso: "3 vezes sem juros", ou "leve agora e pague daqui 60 dias?", atire a primeira pedra. Parcelar as compras do dia a dia é uma opção tentadora. Com isso, muitas pessoas preferem dividir o valor do que comprar algo à vista. 

Uma das facilidades é não precisar dispor de todo dinheiro no momento da compra. No entanto, na maioria das vezes, o custo final de uma compra feita a prazo costuma ser maior do que o valor do produto à vista. Geralmente, há taxas de juros embutidas no valor financiado. Por isso, o ideal é fugir da tentação e sempre tentar pagar à vista.

“Além de fugir dos juros e de não contrair novas dívidas, quem compra à vista tem a opção de barganhar e de conseguir bons descontos”, ensina Miguel José Ribeiro de Oliveira, Diretor Executivo de Estudos Econômicos da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (ANEFAC). Exatamente por isso, ele aconselha: se não houver urgência em comprar determinado produto, a orientação é juntar a quantia necessária para comprar o bem à vista.

O parcelamento só é uma saída aceitável em caso de imprevistos. Quando um eletrodoméstico para de funcionar e precisa ser substituído imediatamente, a compra não pode ser adiada, aí vale a pena parcelar o valor da compra. Optar pelas prestações também é uma boa quando se deseja comprar algo de valor mais alto, como móveis e eletrodomésticos maiores. Nesses casos, é bem mais difícil conseguir guardar o valor total para pagar à vista.

Mesmo que a compra a prazo seja uma boa alternativa para essas aquisições, é fundamental que ela seja consciente e programada. “O cuidado mais importante é analisar as taxas de juros que estão embutidas no financiamento”, alerta o especialista em finanças Mauricio Galhardo, sócio-diretor da Praxis Business.

Uma boa dica é saber quanto vale o produto desejado na hipótese de compra à vista e comparar esse valor com a soma de todas as parcelas até o final do financiamento. A diferença entre os dois valores é o que será pago em juros e outras taxas. No caso da compra de uma lava-roupas que custa R$ 750,00 à vista, por exemplo, há a opção de pagar em 12 parcelas de R$ 70, sem entrada. No entanto, 12 parcelas de R$ 70 dá um total de R$ 840 – ou seja, R$ 90 mais caro do que a opção à vista.

Em alguns casos vale juntar o dinheiro necessário para dar uma entrada maior e, assim, reduzir os juros cobrados no financiamento. “De maneira geral, quanto menos parcelas você fizer, mais barato ficará o financiamento”, ensina Oliveira.

 

Tags: compras consumo finanças orçamento qualidade de vida

Veja mais