Corte custos do condomínio sem mudar padrão de vida

Iniciativas simples podem garantir uma economia significativa

Você gostaria de gastar menos com o condomínio, porém, sem abrir mão das comodidades e da segurança que o seu dinheiro ajuda a custear? Pois saiba que isso é perfeitamente possível. Basta unir forças – e ideias – para colocar em prática estratégias que garantem economia ou até mesmo uma renda extra, que poderá ser abatida das despesas.

Experiências bem-sucedidas podem ser adaptadas à realidade da comunidade em quem você vive. Um exemplo é a iniciativa adotada por um condomínio na Zona Sul de São Paulo: com uma simples mudança de fornecedor, o ex-síndico Rafael Gmeiner conseguiu garantir uma economia de R$ 9 mil por mês. “Fizemos uma pesquisa de mercado e trocamos a empresa de segurança antiga por uma que oferecia preços melhores, sem prejuízo da qualidade”, conta.

Ele também negociou valores com a empresa de limpeza e, para economizar energia, mandou desligar as luzes em áreas poucos movimentadas a partir das 21h. “Sem deixar o prédio no escuro, em dois meses economizamos R$ 900”, diz.

Outras medidas simples podem ser colocadas em prática, permitindo cortes expressivos nas despesas. Saiba mais e prepare a sua lista de sugestões para a próxima reunião de condomínio.

Água

Economizar água é uma medida que faz bem não só ao bolso dos moradores, mas também ao meio ambiente. E a melhor forma de estimular a queda no consumo é individualizar as contas por apartamento. A mudança não é barata. Entretanto, a sócia-diretora do grupo Light – empresa especializada em soluções para condomínios, Silvia Regina Carreira, garante que o investimento compensa. “O custo da individualização é de, aproximadamente, R$ 1.100 por apartamento. Mas, depois, o morador pagará uma conta justa pelo que consome durante todo o tempo em que permanecer no imóvel”.

Energia

Tanto dentro do apartamento quanto fora, os moradores devem se preocupar em reduzir o consumo o máximo possível. Deixar luzes acesas sem necessidade, por horas, pode gerar um gasto alto, fazendo a conta disparar. Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) sugere que os condôminos “economizem juntos, verificando principalmente as áreas comuns do prédio, onde várias lâmpadas costumam ficar acesas sem a menor necessidade”.

Manutenção

Para manter o condomínio sempre em ordem, é necessário que todos colaborem para preservar o que é de uso comum. Além disso, é preciso fazer manutenções preventivas nos equipamentos, como os elevadores, de tempos em tempos. “Sai muito mais barato fazer a revisão do que consertar depois que eles já estiverem quebrados”, garante o palestrante de Educação Financeira Altemir Farinhas.

 

Lixo

Reciclar o lixo também é uma atitude responsável e, além de tudo, ótima para economizar. Em alguns condomínios, latinhas de alumínio, papel e plástico são arrecadados e, depois, destinados à venda, rendendo uma verba extra. Também existe a possibilidade de reciclar e vender outros itens, como o óleo de cozinha.

*Os conteúdos deste portal têm caráter informativo e são produzidos pela empresa Engrenagem Virtual; não refletem necessariamente uma recomendação da Entidade.

Tags: água casa condomínio consumo energia lixo manutenção.

Veja mais