Em vez de comprar, que tal pedir emprestado?

Já ouviu falar de um aplicativo que estimula o empréstimo de objetos entre vizinhos? Ele já foi eleito o melhor app urbano do mundo ao vencer o concurso internacional AppMyCity!, que premia ideias voltadas à melhoria da qualidade de vida. O app Peerby, criado na Holanda, tem um funcionamento bem simples: o usuário se cadastra e descreve o objeto de que precisa. Imediatamente, todos os demais cadastrados recebem um alerta da solicitação e quem tiver e puder emprestar o objeto, envia uma mensagem de resposta. O objetivo do aplicativo é aproximar as pessoas do bairro e evitar o desperdício, diminuindo a compra de objetos que as pessoas irão usar apenas uma ou outra vez.

Inspirada pelo Peerby, uma estudante de comunicação brasileira, Camila Vilela de Moraes, lançou o site “Tem Açúcar?”, que também tem o objetivo de facilitar o empréstimo de objetos entre pessoas. O endereço ainda não está em funcionamento, mas já recebe nomes de interessados em participarem do projeto.

Ideias como essas estão se disseminando no mundo todo. “Essas iniciativas representam um grande avanço, pois a cultura do descartável representa uma séria ameaça ao meio ambiente. Outra vantagem do consumo colaborativo é a boa sensação de interação com outras pessoas em uma comunidade. Saímos dos nossos ‘aquários’ e estimulamos a coletividade”, diz Murilo Gitel, do Instituto EcoD, organização não-governamental, sem fins lucrativos, que estímulo o desenvolvimento sustentável.

“O consumismo parece uma doença”, dispara Mauro Mattedi, criador do site de doações Doabox. “As pessoas gastam mais do que podem, para ter mais coisas, e aí têm que trabalhar mais para comprar mais, é um ciclo sem fim. A vida pode ser mais simples, podemos dar mais importância às relações entre as pessoas do que às coisas”. E opções para simplificar a vida não faltam. “Qualquer um de nós pode criar uma horta comunitária e coletiva, promover um bazar ou feira de bairro, um rodízio de revistas e livros, tudo isso com a ajuda de redes sociais como o Facebook e WhatsApp,”, sugere Murilo Gitel.

Conheça outros sites que também oferecem o serviço:

Bazar Uniformes – site com o objetivo de estimular a troca, doação ou venda de uniformes escolares usados.

DescolaAí – serviço online de troca e venda de produtos e também de prestação de serviços.

Tags: consumo

Veja mais