Fadiga pode ser aliviada com prática ortomolecular e hábitos saudáveis

Marco Casemiro afirma que suplementação alimentar também são essenciais para produção de energia e redução da fadiga

É comum que em alguns períodos específicos do ano o cansaço nos atinja de maneira mais evidente. Os dias ficam mais corridos e as rotinas diárias, aliadas ao trabalho excessivo e uma alimentação incorreta podem causar não apenas em desgaste e cansaço no final do dia, mas também atingir à saúde.

Não é incomum que as pessoas reclamem de uma fadiga extrema e de esgotamento. Sintomas como perda do ânimo, redução da capacidade de trabalhar e sair mesmo que para o lazer são relatadas nos mais diversos consultórios.

Você vai dormir mais cedo, mas acorda cansado mesmo assim? Pede uma folga do trabalho e na volta parece estar ainda mais exaurido? Essas são sensações características do mau funcionamento da glândula suprarrenal. Descoberta há cerca de 10 anos, a fadiga adrenal é considerada a síndrome do século XXI.

Apesar de pouco diagnosticada, a fadiga adrenal é às vezes confundida com depressão, pânico, fibromialgia, labirintite, anemia ou palpitações. Ela consiste na falência parcial da glândula suprarrenal, que comanda a ação e o movimento do nosso organismo por meio da secreção de hormônios esteroides dos quais o principal é o cortisol, que equilibra o sistema imunológico.

Para o Dr. Marco Casemiro, médico especialista há mais de 20 anos em prevenção, tratamento do envelhecimento e reeducação alimentar através da prática ortomolecular, é possível reduzir o desgaste físico e mental aliando hábitos mais saudáveis e uso de suplementos como vitaminas, minerais e aminoácidos, essenciais para a produção de energia. “A prática ortomolecular é um tratamento que pode ajudar nesses casos. Os aminoácidos, por exemplo, são precursores de transmissores químicos cerebrais naturais e atuam no funcionamento das áreas do cérebro responsáveis pelas emoções, pelos pensamentos e pela memória. Eles são uma alternativa aos antidepressivos, pois aumentam a produção de serotonina, não possuem efeitos colaterais e não causam dependência”, explica o médico.

Outra dica dada pelo médico é a prática de atividade física frequente, rotinas regulares de sono e técnicas de relaxamento “Saúde quer dizer bem-estar físico, e a terapia ortomolecular ajuda a adquirir energia para enfrentar o dia a dia moderno, prevenir doenças ou melhorar o tratamento das doenças já existentes. Com isso, irá melhorar o sono, a saciedade e melhorará o bem-estar do paciente. É preciso lembrar que o equilíbrio é fundamental para uma vida de maior qualidade”, finaliza.

Fonte: Assessoria de imprensa

Tags: cansaço fadiga qualidade de vida saúde stress

Veja mais