Quanto tempo pode durar a sua previdência?

Entenda as diferenças entre as contribuições e formas de recebimento

Para muitas pessoas, aposentar significa dispor de uma renda por toda a vida, após o término da carreira profissional. Porém, no campo da previdência complementar, não é bem assim que funciona: é importante saber por quanto tempo você terá a cobertura após se aposentar. Essa é uma das primeiras perguntas que o interessado em aderir a um plano deve fazer antes de assinar o contrato.

Nem sempre o plano é para toda a vida, como explica o economista Fernando Meibak: “Em geral, os planos previdenciários têm períodos de cobertura definidos entre 5, 10, 15 anos ou renda vitalícia, conforme o plano”. Quer entender melhor como funciona cada um?

• Planos de benefício definido: as regras de concessão do benefício são estabelecidas no momento da adesão do participante ao plano de benefícios com base em valores ou níveis prefixados, sendo o seu custeio determinado atuarialmente. Para propiciar o benefício acordado, o plano recebe contribuições que podem variar no curso do tempo. O benefício definido é marcado, ainda, pelo caráter mutualista e solidário.

• Planos de contribuição definida: modalidade de plano de benefícios cujos benefícios programados têm seu valor permanentemente ajustado ao saldo de conta mantido em favor do participante. Ou seja, nesse plano, você vai receber de acordo com o montante que acumulou ao longo dos anos em que contribuiu. Importante você notar que temos dois fatores chave: tempo e dinheiro. O dinheiro é bastante fácil de notar... quanto maior a aplicação, maior será o montante final. Até aqui tudo bem, todo mundo sabe disso. Mas a grande sacada está no fator tempo. Quanto mais tempo o recurso permanecer aplicado, maior será o montante acumulado, pois lhe renderão juros sobre juros, melhorando seu benefício futuro.

Esses planos têm o benefício ajustado a cada ano, em função do “saldo de conta”, que nada mais é do que o volume de recursos acumulados. Assim, a administradora do seu plano irá distribuir esse montante nos períodos de recebimento, de forma a oferecer a renda do benefício no maior nível possível, considerando o prazo do benefício. 

• Planos de contribuição variável: combina características de plano de contribuição definida e de plano de benefício definido. Os benefícios programados (aposentadoria normal ou antecipada) estão estruturados em forma de contribuição definida, e os demais benefícios (de risco, como o auxílio-doença, a pensão por morte do participante e o pecúlio por morte) estão estruturados na modalidade de benefício definido. Nesse tipo de plano, existe a possibilidade de converter a renda, quando da aposentadoria, em um modelo de renda vitalícia, podendo ser transmitida, inclusive, para cônjuge ou filho, em caso de morte.

Os planos de benefício definido e contribuição definida também podem ser vitalícios, desde que essa cláusula esteja em contrato, garantindo, assim, o recebimento do benefício – o documento deve conter, de forma clara, as condições para receber os benefícios e a forma como poderão ser pagos.

 

Tags: Beneficio Definido Contribuição Definida Contribuição Variável futuro previdência complementar

Veja mais