Renda extra com seu celular antigo

Existem lojas especializadas neste tipo de comércio.

Considerando apenas o primeiro trimestre de 2015, foram vendidos 14,1 milhões de smartphones no Brasil. O número é 33% maior se comparado ao mesmo período do ano passado, segundo dados da empresa de consultoria IDC, especializada em tecnologia da informação.

E com tantos lançamentos chegando ao mercado, é difícil permanecer mais do que dois ou três anos com um mesmo modelo. Na maioria das vezes, até menos, conforme indica uma pesquisa realizada pela Motorola Mobility, empresa americana de equipamentos de telecomunicação. De acordo com o levantamento, os brasileiros trocam de smartphone a cada 16 meses, em média.

Assim, existe muito celular em boas condições no fundo das gavetas dos brasileiros, o que não é uma atitude nada econômica. E foi com o objetivo de evitar esse desperdício que surgiram vários sites especializados no comércio de celulares usados. A nova modalidade foi batizada de recommerce, e pode ser uma ótima alternativa para encontrar aparelhos seminovos com ótimos preços ou para vender o seu usado, até mesmo se ele estiver algum defeito. Para garantir a segurança nesse tipo de comércio, o vendedor deve preencher um cadastro indicando todas as especificações de seu aparelho.

“Mesmo perdendo o valor após a compra, um celular top de linha ainda terá um bom valor no mercado. Pelo nosso site, o valor da revenda gira em torno de R$ 200 a R$ 600, dependendo do modelo e de suas condições”, diz o administrador Marcelo Oliveira, da empresa Brused, que negocia modelos da marca Apple.

Já na empresa Redial é possível vender smartphones de diversas marcas presentes no mercado. O valor da venda pode ajudar na compra de um novo aparelho ou ser usado para fazer uma doação para uma das ONGs parceiras da empresa. “Os aparelhos chegam via correio em nosso ateliê de inclusão social. Lá, fazemos uma perícia completa do celular, comparando a declaração da pessoa no site e o aparelho recebido. Além disso, verificamos se o celular pode ser recondicionado ou se ele será destinado à reciclagem”, explica o diretor da Redial, Amaury Bertaud.

Outro site especializado é o Zigoo. “A plataforma chega a receber cerca de 20 aparelhos para venda por dia”, afirma Guilherme Macedo, sócio-fundador e diretor executivo do site. Segundo Macedo, para que o celular não perca muito valor na hora da revenda, é importante usar capas e películas para protege-lo de arranhões. Também é fundamental guardar todos os acessórios originais (caixinha, nota, fones, carregadores etc).

Na Uzlet, que compra modelos de diversas marcas, é possível obter até 75% do valor original do smartphone usado. É o que garante o proprietário do site, Gustavo Bohn: “Desde que ele seja muito bem cuidado e esteja funcionando perfeitamente, sem arranhões ou riscos. Já um aparelho danificado ou que não funciona mais pode valer até 30% do valor de um modelo novo”, disse.

Tags: celular sustentabilidade tecnologia

Veja mais