Renda Variável: como investir?

Segundo dados do site Infomoney, é possível a Bolsa de Valores ultrapasse 100 mil pontos em 2019

Renda variável é uma categoria de investimento que não permite definir o quanto seu dinheiro vai render em um determinado período. Trata-se de uma aplicação de maior risco e volatilidade, pois alguns fatores (cenário político brasileiro e internacional e setor de atuação, por exemplo) que determinam seu rendimento não são permanentes. Porém eles tendem a apresentar bom rendimento a médio e longo prazo.

Segundo dados do site Infomoney, é possível a Bolsa de Valores ultrapasse 100 mil pontos em 2019, ou seja, o mercado está em um momento histórico muito favorável ao investimento. Sendo assim, selecionamos alguns investimentos para

Como investir

A compra e venda de ativos acontece online, basta ter acesso à internet e possuir conta em uma corretora de valores, ou seja, pode ser feita em qualquer lugar. Existem algumas opções de investimento em Renda Variável, confira abaixo algumas abaixo:

Ações

São títulos de propriedade que conferem a seus detentores (investidores) a participação na sociedade da empresa. Elas são emitidas por empresas que desejam principalmente captar recursos para desenvolver projetos que viabilizem o seu crescimento.

As ações podem ser de dois tipos, ordinárias ou preferenciais, sendo que a principal diferença é que as ordinárias dão ao seu detentor direito de voto nas assembleias de acionistas e as preferenciais permitem o recebimento de dividendos em valor superior ao das ações ordinárias, bem como a prioridade no recebimento de reembolso do capital.

As vantagens aqui são relevantes: há potencial de boa rentabilidade a longo prazo, recebimento de dividendos periodicamente, não é necessário um valor muito alto para investir, além de poder comprar e vender suas ações no momento que desejar.

Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

Trata-se de uma comunhão de recursos destinados à aplicação em ativos relacionados ao mercado imobiliário. Cabe ao administrador, uma instituição financeira específica, constituir o fundo e realizar o processo de captação de recursos junto aos investidores através da venda de cotas.

Os recursos captados na venda das cotas poderão ser utilizados para a aquisição de imóveis rurais ou urbanos, construídos ou em construção, destinados a fins comerciais ou residenciais, bem como para a aquisição de títulos e valores mobiliários ligados ao setor imobiliário, tais como cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ações de companhias do setor imobiliário etc.

O FII é constituído sob a forma de condomínio fechado, em que não é permitido ao investidor resgatar as cotas antes de decorrido o prazo de duração do fundo. A maior parte dos FIIs tem prazo indeterminado. Nesse caso, se o investidor decidir sair do investimento, somente poderá fazê-lo através da venda de suas cotas no mercado secundário.

ETF

O ETF de Ações, também conhecido como Exchange Traded Fund (ETF), é fundo negociado em Bolsa que representa uma comunhão de recursos destinados à aplicação em uma carteira de ações que busca retornos que correspondam, de forma geral, à performance, antes de taxas e despesas, de um índice de referência. Como índice de referência do ETF de Ações admite-se qualquer índice de ações reconhecido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os índices de ações permitem ao investidor avaliar como um grupo específico de ações se comportou em relação a um outro grupo ou à sua própria carteira de ações. Isso porque os índices de ações são calculados a partir de uma carteira teórica, criada apenas para medir o desempenho desses ativos

Os ETFs costumam ter uma taxa de administração baixa. Além disso é possível ter uma carteira diversificada com apenas uma transação.

Clubes de Investimento

Nesse tipo de investimento é possível que um coletivo de até 50 pessoas invista em Mercado de Capitais que aplicam em Títulos de Valores Mobiliários que podem ser ações ou Derivativos.

O papel idealizado para os Clubes de Investimento é o de porta de entrada do investidor ainda não familiarizado com o mercado de capitais, daí sua política de investimento ser bastante simples. Espera-se que mediante sua participação no clube o investidor adquira conhecimentos e habilidades sobre a estrutura e o funcionamento do mercado, que o permitirão posteriormente acessar com segurança produtos mais sofisticados.

Câmbio

Nessa modalidade de Renda Variável os investidores apostam na variação de uma moeda. Como sabemos, a volatilidade e o risco neste caso são altos devido a oscilação desse mercado. Trata-se de uma excelente maneira de proteção contra a inflação e de proteger seu capital.

Com informações da BM&FBOVESPA e Comissão de Valores Mobiliários

Tags: investimento renda variável

Veja mais