Reúna os amigos para o tradicional churrasco sem sair no prejuízo

Especialistas ensinam estratégias para quem quer economizar, sem abrir mão da diversão

Aniversário, casamento, feriado, fim de semana. No Brasil, qualquer comemoração é desculpa para acabar em churrasco. “O modo de servir o prato muda um pouco de uma região do país para outra, pois cada um foi inventando os seus acompanhamentos”, explica o administrador Mauro Abreu de Camargo, que ministra cursos, workshops e palestras sobre o assunto. Seja como for, o que não pode faltar numa comemoração desse tipo é a carne de qualidade, justamente um dos itens mais caros da nossa alimentação.

E para que a festa não termine deixando o orçamento dos anfitriões apertado demais, é preciso investir no planejamento. “O primeiro passo é sentar e fazer uma lista de convidados e, então, prever o que vai precisar comprar. Se você conseguir colocar tudo na ponta do lápis, e se planejar com o máximo de antecedência possível, vai dar tempo de pesquisar, comprar produtos com desconto e até organizar melhor o evento”, ensina o gestor gastronômico Tiago Ribeiro, da Cantina do Churrasco. Ele também garante que, em alguns casos, é razoável pedir a colaboração dos participantes do evento. Afinal, se cada um levar um pouquinho, a festa vai ficar bem gostosa, sem pesar no bolso de ninguém.   

A seguir, os especialistas ensinam outras estratégias para quem quer economizar, sem abrir mão da diversão:

Calcule corretamente
Depois de definir o número de convidados, é preciso ter em mente a quantidade de comida e bebida que vai comprar. “Os homens consomem normalmente 500 gramas de carne, enquanto as mulheres consomem 300. Porém, se o churrasco for durar o dia todo, é melhor contar 500 gramas por pessoa, para não correr o risco de faltar”, diz o especialista Cesar Vincenzi, do Templo da Carne. Para as bebidas, o ideal é calcular 1,5 litro por pessoa, de refrigerante ou água. No caso das cervejas, vale separar quatro latinhas por convidado.

Escolha cortes mais baratos 
Contrafilé, alcatra e fraldinha são ótimas carnes para churrasco e não custam tão caro quanto a picanha. “Elas podem ser preparadas de acordo com o gosto do freguês, bem ou malpassadas. E agradam a todo mundo”, garante Abreu.

Invista nos acompanhamentos
Quem resiste a um bom petisco como a batata ou a mandioca frita? Além de saborosos, esses alimentos têm baixo custo. Outra opção são os legumes grelhados, as saladas incrementadas, a farofa, a maionese e o arroz. “Nada disso é muito caro e, no churrasco, vale improvisar e usar a criatividade para pensar em outros acompanhamentos. O mais importante é diversificar, ter opções que agradam a todos”, explica Ribeiro.

Não coloque todas as bebidas para gelar
Muitas delas, se não forem consumidas na hora, terão o sabor alterado ao perderem o gelo. Para evitar que isso aconteça, use um isopor para deixar as bebidas fresquinhas e vá abastecendo-o de acordo com o consumo. “Uma dica é usar, além do gelo, um pouquinho de sal grosso e álcool líquido. Isso faz a bebida atingir a temperatura ideal muito mais rápido, em apenas cinco minutos”, ensina Abreu.

Acerte na sequência das carnes
“Geralmente eu indico que se comece o churrasco servindo linguiças, costelinha suína, pão e vinagrete. Depois, pode-se assar as outras carnes para servir com os demais acompanhamentos. A refeição pode ser finalizada com alguma sobremesa que leve fruta grelhada – como abacaxi ou banana – acompanhada de sorvete”, orienta Vincenzi.

Também é importante que o churrasqueiro observe se os convidados ainda estão se servindo ou se estão começando a recusar o que está sendo oferecido. “Assim, ele não assa nem tempera carne demais, evitando o desperdício”, orienta.