Venda de produtos usados pode aumentar sua renda

38% dos brasileiros possuem algum produto que pode ser comercializado, aponta pesquisa

Você precisa garantir um extra para voltar a deixar suas contas no azul? Ou adoraria ver sobrar mais dinheiro no fim do mês, para elevar seu potencial de investimentos e, assim, ganhar mais com os juros? Uma boa alternativa, para os dois casos, é juntar os itens sem uso que guarda em casa para comercializar por meio de sites e aplicativos, que oferecem segurança e comodidade.

Segundo pesquisa promovida pela empresa OLX, especializada nesse tipo de comércio, 38% dos brasileiros possuem produtos sem uso que podem ser vendidos.Isso soma cerca de R$ 105 bilhões em itens, com um ticket médio de R$ 1.864,16 por pessoa. No entanto, enxergamos que existe um enorme potencial de crescimento para esse setor no Brasil, com uma possibilidade de negócios da ordem de R$ 1 trilhão nos próximos anos”, diz o CEO da OLX Brasil, Andries Oudshoorn.

De acordo com a pesquisa, cada brasileiro acumula uma média de dois produtos usados com potencial de venda, que somam um total de 124 milhões de itens. O segmento de moda e beleza lidera o ranking de usados, citado por 44% dos indivíduos consultados, seguido por bebê e criança (43%), eletrônicos, celulares e informática (40%), decoração e itens para casa (19%), música, arte e lazer (17%), esportes (7%), agropecuária (7%), veículos (5%) e indústria e comércio (1%). 

Outro dado interessante diz respeito à distribuição do total de produtos sem uso com potencial de vendas no Brasil. O levantamento mostrou que 41% estão concentrados na região Sudeste, seguida pelo Nordeste (21%), Sul (19%) e Norte e Centro-Oeste (19%). Do total da amostra, 53% são mulheres, 27% têm idade entre 25 a 34 anos, 21% entre 35 a 44 anos e 19% entre 16 a 24 anos. Quanto ao perfil econômico, entre os usuários que possuem itens usados, 55% estão na classe C, 30% na classe B e 12% nas classes D e E, e 2% na classe A.

E se você ainda não desapegou a ponto de colocar algum item pessoal à venda, o primeiro passo é fazer um balanço do que tem em casa e, em seguida, buscar um site ou aplicativo onde possa comercializá-lo. A OLX, por exemplo, é uma plataforma gratuita. “Temos uma média de mais de 10 milhões de anúncios ativos, com cerca de 18 milhões de visitantes únicos mensais. Atualmente, nosso aplicativo já responde por 53% do total de transações realizadas na nossa plataforma”, garante Oudshoorn.

Tags: economia na prática finanças orçamento

Veja mais